Início > gestão, pensando > Instinto animal, instinto humano

Instinto animal, instinto humano


Dizem que o mundo corporativo é uma selva. Eu mesmo já escrevi alguma coisa usando essa alegoria.

Entretanto, há algo no mundo corporativo que pouco tem a ver com a natureza “selvagem”. É o que chamo de instinto humano. Movido por seu instinto, o ser humano, mesmo quando não há necessidade ou ameaça objetiva pode ser malvado, traiçoeiro, fazer as coisas pelo simples prazer de prejudicar o outro. O instinto humano pode ser motor de associações escusas para derrubar alguém por razões subjetivas, questionáveis e imprevisíveis.

O instinto animal é diferente.

Meu cachorro e seu apetite são de uma sinceridade e clareza de propósitos constrangedores. Quando ele me vê com um sanduíche na mão, uma fatia de pizza, um bife, não faz a menor cerimônia – larga o que estiver fazendo, chega ao meu lado, fixa os olhos no comestível e faz aquela cara de cachorro maltratado e carente. Parece que me diz: “meu mundo por esse bocado de comida que está na sua mão!”.

Igualmente, o leão, conhecido como o rei dos animais, não hesita em deixar claro seus objetivos e anseios. Você duvida disso?

Finalmente, a cobra, tantas vezes injustiçada em nossas rodinhas de trabalho (“aquela ali é uma cobra!”) só faz seguir seu instinto de preservação – agredindo quando se sente ameaçada ou atacando quando necessita de alimento. Você pode confiar que, da cobra, é isso que você vai ter – cedo ou tarde. Em certos casos, seria melhor mesmo nos referirmos àquele em quem não se pode confiar como “aquilo ali é uma pessoa”.

O animal, quando bajula, está movido de segundas intenções. Ao contrário do homem, que pode ter ter terceiras, quartas e quintas intenções.

É claro que é muito provável que o instinto humano seja tão complexo e cheio de variáveis que não caiba na simplicidade com que os animais ditos irracionais encaram sua existência. Pode ser. Mas o fato é que a selva de pedra é,  algumas vezes, mais hostil e amedrontadora do que a mais densa floresta.

Anúncios
  1. Frederico Carvalho
    novembro 6, 2010 às 3:27 pm

    Muito bom!
    Foi muito bom ver o Levi; ele está com uma cara de pidão!
    Um abraço
    Frederico.

  2. Amanda Pernambuco
    novembro 18, 2010 às 10:53 am

    Olá, conheci hoje o seu blog e gostei muito. Textos muito interessantes. Parabéns, que Deus te abençoe e continue a te dar inspiração.

    • lcribeiro
      novembro 18, 2010 às 12:08 pm

      Olá, Amanda.
      Muito obrigado pelo comentário e pelo incentivo. Fique à vontade para indicar para quem quiser.
      Fico contente em saber que tem sido útil para as pessoas.
      Um abraço!

  3. Lucileia Lemos
    fevereiro 26, 2011 às 1:40 pm

    Professor adorei este texto, posso indicar no LinkdIn???
    Abs,

    • lcribeiro
      fevereiro 26, 2011 às 7:25 pm

      Olá, moça!
      Que bom que vc gostou do texto.
      Pode indicar,sim. Vou me sentir honrado 😉
      Abraço!!!

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: