Início > pensando > Museu – lugar de memória, paixão e contemplação

Museu – lugar de memória, paixão e contemplação


Museu de Arte Contemporânea - Niterói-RJ

Em tenra infância (sempre quis usar esse termo em alguma coisa que eu escrevesse), fui levado pelos meus pais a um lugar muito louco. Não sei em que cidade ficava aquilo, qual era o nome do lugar. Mas as emoções que lá experimentei pela primeira vez foram inesquecíveis.

Fiquei apavorado logo que entrei. Confesso que levei alguns segundos para perceber que aquela ave de verdade, enorme, de asas abertas na minha frente não estava viva – era um bicho empalhado. Foi paixão ao primeiro susto! Aquele museu de história natural, com animais de várias espécies me encantou instantânea e irremediavelmente.

Daquele dia em diante, para mim, durante muito tempo, museu foi lugar de bicho empalhado. Só com o passar do tempo foi que eu descobri que existem também os museus de história, de ciências, de artes, de arquitetura, de móveis, os botânicos.

Na Grécia antiga, museu era o templo das musas, as deusas da memória. Com o tempo, passou a ser um espaço para mostrar e discutir os conhecimentos adquiridos pela humanidade, para exposição e interação com as artes, para a observação e questionamento das coisas do universo, entre outras coisas.

E é isso que eu creio que ficou comigo, desde aquele marcante primeiro encontro com essa instituição mágica. Museu é aquele lugar em que nos lembramos de quem somos, do que nos cerca, do que já fizemos de bom (e de ruim), do que podemos fazer, do que conquistamos, do que ainda temos à nossa frente. É um lugar de contemplação e reflexão.

Pare por um momento, recorde-se disso e tire um tempinho para meditar na vida e no seu autor.

Desde que Deus criou o mundo, as suas qualidades invisíveis, isto é, o seu poder eterno e a sua natureza divina, têm sido vistas claramente. Os seres humanos podem ver tudo isso nas coisas que Deus tem feito e, portanto, eles não têm desculpa nenhuma. (Romanos 1:20 – Bíblia NTLH)

Anúncios
Categorias:pensando
  1. maio 18, 2010 às 10:52 pm

    Fala aê, Laércio. Beleza, campeão?
    Bela matéria. Os museus guardam as histórias da humanidade e merecem, por isso,
    toda a nossa reverência.

    Forte abraço.

    • lcribeiro
      maio 18, 2010 às 10:56 pm

      É verdade, meu amigo!
      Sou apaixonado por história, e por tudo o que podemos aprender com ela.
      Obrigado pela força!

  2. maio 23, 2010 às 10:57 pm

    Lau, já pensou que o museu de arte moderna; hoje; será em alguns anos um museu de uma arte já passada. Imagino que um dia o impressionismo tenha sido exposto no museu de arte contenporânea… Muito bom isso, mes fez lembrar de outro texto: Eclesiastes
    1:9 O que foi, isso é o que há de ser; e o que se fez, isso se fará; de modo que nada há de novo debaixo do sol.

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: