Início > gentes, pensando > Sobre pitangas, pássaros e sementes

Sobre pitangas, pássaros e sementes


No sábado passado à tarde, minha esposa disse que queria me mostrar uma coisa no quintal de casa. Levou-me até um cantinho onde há três grandes árvores, uma ao lado da outra. Ali, escondidinha entre elas, uma pitangueira – jovem, pequena mas cheia de frutos maduros.

Tal qual minha amiga Andréa, gosto de pitanga. Comi todas as que estavam maduras e, agora, aguardo ansioso mais uns dias, quando mais algumas estarão vermelhas, doces e prontas. O gosto ainda estava vivo na minha boca, quando lembrei-me do Wesley.

Há alguns anos, quando o conheci, fiquei sabendo que ele é responsável pelo LIVEP da Unicamp – o Laboratório de Interações Vertebrados-Plantas. Naquela ocasião, ele me explicou que as pesquisas no laboratório procuram mapear e entender o mecanismo natural através do qual aves frugívoras carregam e dispersam sementes de diversas espécies de plantas pelos lugares. No caso das florestas tropicais, a consequência dessa atividade é uma biodiversidade invejável e rica.pitangueira

Claro, fiquei emocionado ao ver que aquilo sobre o que tinha lido e ouvido falar, estava acontecendo bem ali, na minha frente.

Tenho cada dia mais certeza de que a vida é para ser assim também. Você e eu passamos por lugares, vivemos situações, aprendemos e, como diz o filósofo e educador Mário Cortella, a cada dia que passa, estreamos uma nova edição de nós mesmos: edição revista, ampliada, mais completa. E essas coisas novas que recebemos e carregamos a cada dia, devem ser levadas a outros cantos, para germinarem e darem frutos, que servirão para outras pessoas.

Assim, da próxima vez que pousar em uma árvore por aí, preste atenção. Na hora de sair voando para outras paragens, certifique-se de sair carregando alguma semente boa, para largar em outro lugar.

Nota: espero não me esquecer de, da próxima vez, guardar umas pitangas e levar para a Andréa.

Anúncios
Categorias:gentes, pensando
  1. Breno
    setembro 25, 2009 às 9:47 pm

    Essa “frugíveras” é legal….e guarde tbm umas pitangas pra mim, pq me lembro qdo adolescente, q eu e uns amigos pulavamos a grade de uma casa na João Guilhermino, pra apanhá-las…..era bom d+….rrrsss….fica de olho aí, se ninguem vai pular o muro !!!!!!!!!

    • lcribeiro
      setembro 25, 2009 às 10:40 pm

      Ah, rapaz… sabe que, uma vez que estava indo para a AESJ com vcs, me lembro que passamos naquela casa da João Guilhermino.
      Me lembro até hoje daquela casa, ao lado do Saint James. Aliás, foi ali que eu comecei a gostar de pitanga.

  2. Breno
    setembro 28, 2009 às 2:23 pm

    a lembrança da casa da João Guilhermino foi só um comentário qto ao q me ocorre qdo alguem fala sobre pitanga.
    Mas o importante da mensagem realmente está no final. É totalmente verdadeiro. É impressionante como estamos aprendendo a todo instante (pelo menos tentamos…rrsss). Aprendemos com os mais velhos, os mais novos, com as situações, muitas vezes estressantes e etc….o aprendizado tem q servir pra alguma coisa, ou melhor, pra alguem mais, e não somente pra nós.
    De que adianta sabermos algo, se não passarmos aos outros…
    mais ou menos assim…..o alpinista q conseguiu chegar ao topo, mas q tinha 2 colegas ainda tentando chegar lá…com a ajuda do primeiro, os outros 2 conseguem chegar, pois aquele ja conhecia todos os atalhos, e então foi conduzindo-os.
    E é verdade. A vida é assim

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: