Início > pensando > Maiôs indecentes

Maiôs indecentes


Rio de Janeiro, verão de 1970.

Eu tinha 6 anos e fui à Cidade Maravilhosa pela primeira vez. Estávamos na praia de Copacabana quando minha mãe falou: “Mas que maiô indecente. Tem necessidade?”. Foi a primeira vez que ouvi aquela expressão – “maiô indecente”.

Dali em diante, os trajes de banho foram só diminuindo e cobrindo áreas cada vez menores dos corpos de banhistas. Ainda ouvi a expressão “maiô indecente” muitas vezes. Até que, a partir de um determinado momento, as pessoas desistiram de falar. Por uma razão ou por outra, a sociedade se acostumou e os maiôs deixaram de ser indecentes.

Na última semana, os maiôs voltaram a ser assunto e objeto de escândalo e controvérsia. Curiosamente, ao contrário daqueles de Copacabana, os maiôs da discórdia causam espanto e indignação, entre outras coisas, por cobrirem uma área cada vez maior do corpo de quem os usa.

O Mundial de Natação, que está sendo disputado em Roma, apresenta uma nova geração de maiôs. A causa da discussão e da polêmica é o papel fundamental que os trajes tem tido na performance dos competidores. A cada competição internacional, um fabricante de maiôs apresenta seu produto mais novo, mais avançado e performático. As grandes estrelas de Roma 2009 são o Jaked01 e o Arena X-Glide. Uma das grandes vantagens é que auxiliam o nadador a flutuar, exigindo menor esforço para a locomoção dentro da água e aumentando a velocidade.

090726mundial_domingo_f_016A Fina (Federação Internacional de Natação), assim como a minha mãe em 1970, ficou indignada e proibiu modelos desenvolvidos com essas características para as competições disputadas a partir de 2010.

Aliás, como se fosse a coroação desse exagero, tivemos um incidente emblemático no último domingo: no momento em que caía na água para a prova de revezamento, o maiô do americano Ricky Berens, exageradamente apertado, rasgou-se, propiciando-nos essa imagem bizarra.

Hoje, o maiô corrompe os valores do esporte e o espírito da competição. É igualmente indecente.

Nota: Ontem, o brasileiro Cesar Cielo conquistou sua primeira medalha de ouro em campeonatos mundiais. Também quebrou o recorde mundial da prova de 100 metros nado livre. Usava um Arena X-Glide, assim como Frederick Bousquet, medalha de bronze na mesma prova. Tenho certeza que em 2010, sem esse recurso, ele continuará sendo um nadador excepcional.

Anúncios
Categorias:pensando
  1. Lya
    agosto 5, 2009 às 8:03 pm

    Concordo com a indecência da corrupção de valores! Em gênero, número e grau… Agora, a imagem não foi tão bizarra assim, vai! Me arrisco até a dizer que o cara saiu bem na foto… Rsrsrs.

  2. lcribeiro
    agosto 6, 2009 às 10:57 am

    hahaha! olha… aí eu já não sei… 😉

  3. Lya
    agosto 7, 2009 às 12:24 am

    Ainda bem, né!

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: